5 curiosidades sobre a história das joias que você ainda não conhece

As joias fazem parte das sociedades há muito tempo. Sempre foram, e ainda são, itens que agregam beleza, classe e requinte aos estilos pessoais, marcando épocas e tendo papel de destaque em todo o planeta. Elas existem em diversos tipos, formatos e valores, mas o fato é que as joias estão presentes na vida de quase todas as pessoas.

Mas isso não quer dizer que nós conheçamos elas tão bem quanto pensamos: você já parou para pensar na historia das joias? Pois saiba que ela é muito mais rica e cheia de curiosidades do que qualquer um pode imaginar. Quer descobrir algumas das mais interessantes? Confira a seguir!

Desde a pré- história

Acredite: as joias já fazem parte de nossa sociedade desde os períodos mais antigos. Mesmo em épocas onde o homem não tinha ferramentas precisas para extrair metais ou pedras preciosas da natureza, ele já dava seu jeito para ficar mais enfeitado e bonito. Materiais inesperados como ossos, sementes, rochas e dentes de animais, lapidados de maneira rústica, já eram carregados como adornos, em volta dos braços e pescoços.

A influência egípcia

O Egito é um país que sempre foi carregado de misticismo e simbolismo. Desde a época dos Faraós, as joias já eram símbolos de riqueza e beleza. As peças mais especiais eram em forma de escaravelho, que representava o sol e a criação, do olho de Hórus, Deus da proteção, ou de escorpiões, serpentes e outros animais considerados especiais. Também apostavam em cores diferentes e variações, num estilo que é muito admirado em diversos locais até os dias de hoje.

Elementos góticos

A arquitetura gótica foi um marco no mundo das construções e mantém-se, até hoje, com enorme influência na área. Quando o estilo surgiu, diversos monumentos verticais e bem característicos, especialmente nas catedrais, influenciaram também o mundo da moda e das joias, fazendo surgir formas mais pontudas e angulares, ditando um novo modelo de elegância.

A joalheria Celta

Os Celtas foram joalheiros magistrais, embora muita gente não faça ideia disso. Eles tiverem grande destaque porque absorveram bem as influências de povos estrangeiros. Com isso, o povo Celta adaptou técnicas de como trabalhar os metais, como gravação, filigrana, fundição, esmalte e granulação.

Financiamento de guerras

Você sabia que as joias e seus altos valores já foram usadas até para financiar guerras? Um dos grandes exemplos disso foi o que ocorreu com o povo romano, que usava ouro para garantir armamentos e suprimentos aos seus exércitos. Só um pouco antes do nascimento de Cristo é que as joias foram se tornando mais populares como enfeites e adornos.

As joias na Idade Média

A Idade Média foi uma época onde a arte sofreu uma grande influencia da religião católica. Por causa disso, as joias eclesiásticas ganharam força e tanto homens quanto mulheres usavam crucifixos, relicários e escapulários. Foi aí que ganhou força uma categoria profissional: os ourives, que passaram a exibir seu talento na confecção desses itens e tornaram-se alvo de admiração e apreço. A burguesia passou a usar também anéis com monogramas, que serviam como uma espécie de assinatura, simbolizando sua origem nobre. Pérolas, rubis e outras gemas também eram usadas pelas classes abastadas e passaram a ser símbolo da aristocracia.

As joias fazem parte da história da humanidade e não é à toa que são muito queridas e objetos de desejo ainda hoje: agregam elegância e classe, além de fazer muito bem aos olhos!

Conhece outro fato interessante sobre a história das joias? Conte pra gente!

Compartilhe este conteúdo

Deixe uma resposta